Voce já tomou o famoso vinho Brunello de Montalcino?

O Vale d’Orcia, na Toscana, é um esplendido mosaico de arte e natureza que sempre fascinou artistas, escritores e poetas. De fato, já na época renascentista os maiores pintores imortalizaram as paisagens naturais de Val D’Orcia que se transformaram no símbolo de prosperidade e pureza.

Castelos medievais, colinas, cidades antigas, belas vilas, casas isoladas, ciprestes, vinhas fabulosas e olivais, campos de trigo e da cor do ouro são apenas alguns dos elementos que compõem as paisagens fantásticas e harmoniosas do Val d’Orcia! Definitivamente ir ao Val D’Orcia é fazer uma viagem de outros tempos à descoberta de lugares mais fascinantes que esse território oferece.

A região é atravessada pelo rio Orcia, do qual deriva o nome do vale, e fica entre as províncias de Siena e Grosseto. Toda a área é agora um parque protegido e foi reconhecido como Patrimônio Mundial pela UNESCO desde 2004.

Os municípios que fazem parte do Val d’Orcia são: Castiglione d’Orcia, Montalcino, Pienza, San Quirico e Radicofani d’Orcia. Outros centros importantes são Contignano, Monticchiello, Bagno Vignoni, Rocca d’Orcia Campiglia d’Orcia, Bagni San Filippo e Vivo d’Orcia. Estão localizados no Val d’Orcia também algumas cidades na província de Grosseto, como Montenero d’Orcia e Montegiovi, povoados próximos Castel del Piano. Muitas fazendas, casas rurais e fortalezas com torres inacessíveis estão espalhadas na paisagem isolada e tranquila.

Portanto, o Val D’Orcia é rico em fascinantes cidadezinhas/vilarejos que merecem ser visitadas. Porém, o Val D’Orcia não é conhecido somente pelos panoramas de sonho, mas também pela sua ótima tradição eno-gastronômica. É um terreno quase surreal e suspenso, o que também deu origem a um dos mais valiosos e apreciados vinhos italianos, o Brunello di Montalcino.


Antes da falarmos do vinho Brunello di Montalcino, é importante você conhecer a bela cidade de Montalcino.

Montalcino está situada em uma colina alta entre os vales do Rio Ombrone, fica a 564 metros acima do nível do mar. e está a 40 km de distância de Siena.

Montalcino é uma cidade pequena (conta com pouco mais de 5.000 habitantes), mas é toda orgulhosa de si. Alvo de disputas duras entre Siena e Florença entre os séculos XII e XV, a cidade passou de comando para lá e para cá, declarou sua independência (foi nessa época que a Fortaleza, principal cartão turístico da cidade foi erguida), resistiu as tropas de Médice, e por fim foi anexada a Florença até a unificação Italiana em 1860. Tanta história e tantas lutas deixaram marcas profundas na história da cidade e no orgulho dos locais que hoje vivem da agricultura, produção de vinhos e mais recentemente, o turismo!

Há muitas joias em Montalcino para se visitar, começando pelo Centro Histórico, onde, imponente, fica a antiga fortaleza da cidade, chamada de LaRocca. A fortaleza, o principal cartão postal da cidade, foi erguida em 1361 e seu charme permanece intocado. Outro lugar lindo é o Duomo de Montalcino, a Catedral do Santíssimo Salvatore. Ela é toda feita de tijolinhos, assim como a maioria das casas da cidade e foi construída em estilo neoclássico.

Mas, conforme mencionamos, precisamos falar sobre o “carro chefe” de Montalcino. Com toda certeza seu maior orgulho e motivo da fama da cidade é porque nela é onde nasce um dos vinhos mais finos e apreciados do mundo.


O famoso vinho Brunello di Montalcino é feito 100% com uvas da variedade Sangiovese, e sua colheita, a famosa vendemmia, acontece em setembro.

O Brunello é produzido exclusivamente nos arredores de Montalcino devido a uma série de fatores. O clima tende a ser seco, com fenômenos raros de neblina ou geada, o que permite que as videiras cresçam nas melhores condições. O Monte Amiata faz a proteção contra tempestades e chuvas de granizo, e neste contexto favorável, as vinhas podem produzir uma uva sadia e um vinho inigualável como o Brunello di Montalcino.

O Brunello é o primeiro vinho na Itália a obter a Denominação de Origem Controlada e Garantida, DOCG, e em todas as suas garrafas são fechadas com um selo numerado, como uma garantia da sua qualidade e autenticidade. As uvas, a vinificação, envelhecimento e engarrafamento devem ser feitas na região demarcada. O vinho deve ser colocado em garrafas do tipo bordalesa e fechadas com rolha de cortiça. Um bom Brunello pode ser guardado por 10 a 30 anos se mantido em condições ideais. O Brunello di Montalcino é liberado para consumo após 1° de janeiro do quinto ano depois da colheita, portanto mais de 5 anos de preparação, dos quais deve passar ao menos 2 anos em barril de carvalho e 6 meses em garrafa (o reserva leva 6 anos para ser lançado). A graduação alcoólica é de no mínimo 12%.

Além do Brunelo, a região de Montalcino também produz o Rosso de Montalcino DOC (100% sangiovese), um vinho jovem, com 1 ano somente de envelhecimento (menos encorpado) e ainda o Sant’Atimo Doc e o Moscadelo Doc, outros 2 vinhos doces produzidos na cidade.

O Brunello de Montalcino pode ser considerado, junto ao Barolo, o vinho tinto italiano de maior longevidade. Se você for um apreciador de vinhos, não pode deixar de provar o mundialmente famoso Brunello de Montalcino!


Portanto, se você é fã de belas paisagens, cultura e não abre mão de uma boa taça de vinho, o Vale d’Orcia, mais precisamente, Montalcino é o seu destino perfeito. Aproveite, entre em contato conosco para organizarmos uma experiência única na Toscana, aproveitando para visitar as enotecas de Montalcino e fazer uma degustação de um dos vinhos mais famosos do mundo.


E-mail: contato@colecaodesouvenirs.com

Whats: 48 996066232


Um abraço,

Ariel Canever.

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo